Governo perde espaço na Câmara e oposição e suplentes viram protagonistas

A situação do governo na Câmara Municipal não é das melhores. Apesar de ainda conseguir aprovar a maioria dos projetos, o prefeito Bernardo Rossi, segundo uma fonte, tem consciência que não tem mais influência sobre os vereadores.

De modo geral a visão que se tem é que os vereadores estão atrelados ao Governo Municipal e por isso não atuam contra o prefeito. De fato, esta é a imagem que passa, principalmente os discursos que vão na linha de defesa do governo.

Mas, conversando com os vereadores, a maioria, principalmente os suplentes querem manter uma atitude de independência e não aceitam nenhuma interferência do Governo na decisão deles sobre as votações.

Um vereador chegou a afirmar que: “Mantenho meu apoio ao governo, mas se o prefeito pensa que vou votar tudo que ele quer, sem discutir, sem ver se de fato se é bom para cidade está enganado” e concluiu frisando que “não estou aqui para dize amém”.

A maior dificuldade do Governo está em administrar este tipo de posicionamento, até porque, enquanto o Governo e a direção da Câmara passarem a imagem que atuam para proteger os vereadores investigados pela Justiça, a relação não será tranquila.

O problema é que tanto a Câmara quanto a Prefeitura não apresentam nada que vá de encontro aos anseios da população e isto coloca os dois poderes – Executivo e Legislativo – em constante colisão com a opinião pública.

Estes problemas dificultam o diálogo e por isso, o prefeito sabe que, se não tiver um articulador habilidoso terá sérios problemas para aprovar determinados projetos. No entanto, até o momento, as pessoas colocadas para dialogar com os vereadores não agradou e deixou a maioria insatisfeita.

Alguns fatos demonstram esta dificuldade do Governo Municipal e do que sobrou da Bancada Governista, pois a maioria está afastada da Câmara por ordem judicial.

Quando da discussão da CPI do Natal Imperial. Em reposta a posição do vereador Leandro Azevedo (PSD), vereadores ligados ao governo, propuseram então uma CPI para apurar irregularidades nos contratos da extinta Fundação de Cultura, hoje Instituto Municipal de Cultura e Esportes, no período do governo do ex-prefeito Rubens Bomtempo. Com este objetivo a maioria dos vereadores assinaram o pedido de CPI do Natal Imperial.

Esta CPI, criada para investigar os custos do Natal de 2018 já foi instalada e já realizou a primeira reunião. Ela é formada pela maioria dos vereadores de oposição ao governo Bernardo Rossi. Já a CPI para investigar os contratos da extinta Fundação de Cultura, ainda não teve os nomes indicados.

Publicado em Artigos | Deixe o seu comentário

Diretório do PSL em Petrópolis foi dissolvido

Na manhã de hoje, recebi mensagem do deputado federal do PSL, Daniel Silveira, informou que o diretório municipal do partido na cidade foi dissolvido e que ele passou a ter plenos poderes na executiva municipal.

O deputado me informou que a decisão foi tomada durante uma conversa com o senador Flávio Bolsonaro que orientou a tomar esta decisão, dando-lhe plenos poderes para organizar o partido na cidade.

Do diretório anterior, apenas Octávio Sampaio, que era o presidente foi mantido e vai ajudar o deputado a reconstruir a direção municipal do PSL.

Publicado em Notas Políticas | Deixe o seu comentário

Vice-presidente do PSL faz críticas ao presidente do PSC

Tudo indica que a relação entre o presidente do PSC Petrópolis com integrantes do PSL não é das melhores. Ontem, circulou nas redes sociais uma manifestação que mostrou como está a relação. Veja o texto na íntegra :

PSL PETRÓPOLIS
NOTA DE ESCLARECIMENTO

Tendo em vista fatos recentes noticiados pela imprensa petropolitana, o PSL PETRÓPOLIS vem a público esclarecer os seguintes fatos:

1- Não é verdade que o senhor Bernardo Santoro conte com a “simpatia” do PSL PETRÓPOLIS. Pelo contrário, por sua conduta politiqueira que somente visa objetivos pessoais, é considerado PERSONA NON GRATA ENTRE TODOS OS NOSSOS INTEGRANTES;

2- Não existe grupo ESPECÍFICO do deputado federal Daniel Silveira no PSL PETRÓPOLIS. Pelo contrário, todos integrantes e simpatizantes do PSL PETRÓPOLIS formam um grupo de pessoas ÚNICO E COESO, voltado para um objetivo comum, que é continuar a propagar os ideais de moralização capitaneados pelo nosso presidente Jair Bolsonaro, o qual o nosso deputado é MEMBRO ATUANTE E IMPRESCINDÍVEL;

3- NÃO É TAMBÉM VERDADE, BEM COMO, NÃO EXISTE A MENOR POSSIBILIDADE,  DE QUE O PSL PETRÓPOLIS VÁ INDICAR UM CANDIDATO A VICE-PREFEITO DOS SEUS QUADROS PARA COMPOR UMA COLIGAÇÃO COM O PSC do senhor Bernardo Santoro, que se encontra em franca campanha eleitoral antecipada. O PSL PETRÓPOLIS VAI TER CANDIDATO PRÓPRIO PARA AS ELEIÇÕES DE 2020, ESCOLHIDO PELO DIRETÓRIO MUNICIPAL E COM DIVULGAÇÃO NO TEMPO DEVIDO. Este boato vem sendo disseminado de forma cretina por alguns aspirantes a cargos públicos simpatizantes à candidatura antecipada, com o claro intuito de confundir o eleitorado petropolitano e tumultuar o ambiente político já conturbado de nossa cidade;

4- O comportamento predatório e irresponsável do senhor Bernardo Santoro visa única e exclusivamente o atingimento de seus anseios políticos pessoais, manipulando claramente fatos para que possam se amoldar aos seus interesses, destoando totalmente no que o PSL PETRÓPOLIS PREGA E ATUA. NÓS DO PSL PETRÓPOLIS NÃO TEMOS UM PROJETO DE PODER POLÍTICO-PARTIDÁRIO. TEMOS UM IDEAL DE RESGATE MORAL, SOCIAL E POLÍTICO PARA A NOSSA CIDADE;

5- Para evitar ilações politiqueiras e maldosas por parte do senhor Bernardo Santoro, afirmo que nunca me coloquei candidato a nada, bem como NUNCA pleiteei cargo algum, pelo contrário. O senhor Bernardo Santoro tentou de forma mesquinha manipular o processo de construção de uma coligação PSL/PSC, indicando meu nome como CANDIDATO PERFEITO para a chapa majoritária para 2020, colocando seu nome para vice-prefeito. Essa manobra visava a desestimular o pensamento de 2 integrantes do PSL PETRÓPOLIS que tinham a intenção de disputar as próximas eleições. Obtendo êxito em ambos os casos, inclusive conquistando o apoio de ambos para a suposta coligação, o senhor Bernardo Santoro muda o cenário, alegando que o governador Witzel queria que o mesmo disputasse a vereança na cidade do Rio de Janeiro. E para surpresa de todos os envolvidos, na semana seguinte apareceu com nova versão, alegando agora que o governador Witzel queria que o mesmo disputasse a prefeitura de Petrópolis, ficando finalmente claro a intentona de manipular pessoas e situações em proveito próprio. E o pior, recebi ameaças nem tão veladas de que o referido articulador trabalharia na minha EXPULSÃO BRANCA DO PSL!!!;

6- A exemplo de 2016, quando o PSC APOIOU O ATUAL PREFEITO BERNARDO ROSSI, as articulações políticas do senhor Bernardo Santoro foram desastrosas e levaram ao poder políticos da pior estirpe, inclusive afastados dos respectivos mandatos por decisão judicial. NÓS DO PSL PETRÓPOLIS VAMOS IMPEDIR QUE TAIS ARTICULAÇÕES VOLTEM A SE REPETIR, NO QUE DIZ RESPEITO À NOSSA PARTICIPAÇÃO;

7- Finalmente, como forma de demonstração de isenção e independência de objetivos, coloquei meu cargo de vice-presidente do PSL PETRÓPOLIS à disposição do senhor Octavio Sampaio, para que não reste dúvidas quanto a possíveis pleitos a futuros cargos e/ou funções. E assim, fico ansiosamente no aguardo do DESMENTIDO PÚBLICO DE TUDO O QUE CONSTA NESTE COMUNICADO por parte do senhor Bernardo Santoro.

Atenciosamente,
Arnaldo VIEIRA NETO
VICE-PRESIDENTE PSL PETRÓPOLIS

Publicado em Notas Políticas | Deixe o seu comentário

Partido Novo enfrenta problemas pós eleição

De acordo com uma fonte, o partido Novo no Estado do Rio está rachado e o motivo seria a entrada de militantes da esquerda que agora se dizem da direita.

O partido Novo está sofrendo um problema que outras siglas já passaram e estão passando, com militantes políticos, sem nenhuma afinidade partidária, afinidade apenas com o poder (governo) buscam espaço político de olho num futuro próximo ou distante.

Este racha e a entrada de militantes da esquerda trouxe a tona outra questão: o partido surgiu para apresentar algo de fato novo em busca de mudança política, ou para atender o ego político de João Amoêdo, financiador e idealizador do partido Novo.

Na eleição para presidente, Amoêdo ficou em quinto lugar com 2.679.745 votos e no Estado do Rio em sexto com 139.208 mil votos.

Agora é esperar para ver se os deputados e o governador de Minas Gerais eleitos vão de fato apresentar o novo ou será um novo/velho.

Publicado em Notas Políticas | Deixe o seu comentário

Câmara dividida pode prejudicar aprovação de projetos

Nos últimos dias tem ficado evidente que o presidente da Câmara, vereador Roni Medeiros (PTB), mesmo com todo seu esforço, não consegue unir os vereadores e nem ser uma voz de consenso entre seus pares.

Os motivos são muitos e não falta reclamação de assessores e vereadores. A última foi uma decisão tomada em nome da Mesa Diretora e depois retirada, ordenando o Departamento Jurídico da Câmara para entrar com um agravo de instrumento, que segundo informações iria contra a decisão que determinou a posse dos suplentes.

Esta decisão acirrou os ânimos entre os vereadores e na semana passada, o vereador Jamil Sabrá (PDT) usou a tribuna para cobrar uma explicação, pois segundo ele, vários membros da Mesa Diretora não tinham conhecimento da decisão. Os suplentes que assumiram o cargo de vereador também se manifestaram e cobram uma explicação do presidente.

Este fato mostrou que há uma divisão na Câmara, o que pode inclusive prejudicar a aprovação de projetos importantes para o Governo Bernardo Rossi.

Segundo informações, os vereadores que assumiram o cargo no lugar dos vereadores afastados por decisão judicial querem mais espaço na Câmara.

Esta novela ainda terá muitos capítulos interessantes é só ficar de olho.

Publicado em Notas Políticas | Deixe o seu comentário