Bomtempo entra para história como o prefeito quatro vezes eleito pelo voto popular

Rubens Bomtempo foi eleito pela quarta vez prefeito de Petrópolis. Com este resultado entra para história da cidade como o único prefeito eleito de forma democrática, pelo voto popular, para administrar a cidade pela quarta vez. Antes dele, apenas o prefeito Flavio Castrioto ocupou o cargo de por quatro vezes, sendo uma por nomeação e três eleito pelo voto popular.

Com este feito, o prefeito eleito, Rubens Bomtempo terá pela frente o desafio de administrar a cidade em meio a uma pandemia, causada pelo Covid-19, e os efeitos negativo causado por ela, como a perda de empregos na cidade, o fechamento de vários estabelecimentos comerciais e ainda a perda do ano letivo dos alunos da rede pública municipal.

O prefeito eleito assume a Prefeitura planejando-a para uma campanha de vacinação de toda população contra o Covid-19 e assumindo as medidas tomadas pelo governo do prefeito Bernardo Rossi.

Além disto, Rubens Bomtempo ao assumir o cargo de Chefe do Poder Executivo terá que ter atenção a Câmara Municipal. Os novos vereadores e os reeleitos assumem, no dia 1º de janeiro, enfrentando uma crise política devido a situação dos vereadores Dudu e Paulo Igor, réus em processos no Tribunal de Justiça do Rio de janeiro devido a denúncias apresentadas pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

Mas, esta não é a primeira vez que Rubens Bomtempo assume a administração municipal em meio a crise na cidade. Em 1º de janeiro de 2001, ao mesmo tempo que assumiu o cargo de prefeito comandava as ações de recuperação e atendimento as vítimas da chuva que ocorreram no final de dezembro de 2000.

Nos anos seguintes, por diversas vezes enfrentou tragédias na cidade. Levando-o a criar a Secretaria Municipal de Defesa Civil. A criação desta secretaria foi uma resposta a uma mudança de postura que o Brasil adotou, após várias tragédias naturais, como a que ocorreu na região serrana em janeiro de 2011. A mudança foi dar mais prioridade a prevenção, seguindo o modelo e cultura de prevenção do Japão.

Esta entrada foi publicada em Notas Políticas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *